sexta-feira, 6 de março de 2015

DICUSTIR IDEOLOGIA NA LUTA CONTRA DROGAS

A região da cidade de São Paulo que ficou conhecida pela triste alcunha de cracolândia, na Luz, concentra centenas de pessoas que usam crack, álcool e outras drogas de forma compulsiva. Na maioria dos casos, o alto grau de dependência os impede de ter consciência sobre sua real condição.
São doentes graves, que precisam de ajuda médica e psicológica. Muitos possuem comorbidades (coexistência de doenças), como Aids, sífilis, tuberculose e hepatites virais, entre outras doenças associadas.
A dependência química é uma doença crônica, tal como câncer, diabetes e hipertensão. Em estágios avançados ou quando o problema torna-se agudo, para qualquer outro problema de saúde indica-se internação hospitalar de curta ou média duração visando à estabilização do quadro. Por que então deve ser diferente com quem é usuário de drogas?
Não há espaço para discutir ideologias. A luta antimanicomial foi muito importante, mas hoje, passados 15 anos da reforma psiquiátrica, é preciso reconhecer que a rede pública deixou de criar soluções efetivas para os casos de saúde mental mais graves e extremos – e que, por sua natureza, precisam de internação e tratamento intensivo, com medicamentos e equipe multidisciplinar.
Não se preconiza internações indiscriminadas de dependentes químicos, mas elas devem ser indicadas quando o caso é realmente grave, colocando, inclusive, em risco as vidas dos pacientes.
Na cracolândia, mais de 80% dos dependentes que são encaminhados ao Cratod (Centro de Referência em Álcool, Tabaco e outras Drogas) são classificados como doentes graves e que precisam de internação em serviços especializados. Necessitam de um período de abstinência mínimo, de desintoxicação, para depois seguirem o tratamento em nível ambulatorial ou, em alguns casos, em comunidades terapêuticas que irão ajudá-los a voltarem à rotina do dia a dia, reinseridos na sociedade. Esse índice, altíssimo, decorre da condição gravíssima de debilidade psíquica e física dos usuários que frequentam a região.
O mesmo percentual de internações recomendadas para dependentes químicos não se observa em relação a pacientes que chegam por demanda espontânea ao Cratod, via serviço telefônico do Programa Recomeço ou mesmo aqueles encaminhados pelos Caps (Centros de Atenção Psicossocial).
No Cratod há uma Unidade de Acolhimento e um serviço judicial, composto por médicos e representantes do Ministério Público e da OAB, que visa dar maior celeridade às internações involuntárias ou compulsórias, indicadas pela própria reforma psiquiátrica para os casos gravíssimos.
Desde 21 de janeiro de 2013, quando o serviço começou, foram realizados mais de 14 mil acolhimentos e quase 8 mil encaminhamentos de dependentes para internação, 87% dos quais de forma voluntária, ou seja, com o consentimento do paciente.
Quando o usuário da cracolândia opta pelo tratamento efetivo, e numa condição grave que demanda abstinência total, a prefeitura de São Paulo o encaminha para o programa Recomeço, do governo do Estado, porque não dispõe de nenhum serviço de internação, atualmente.
Hoje são cerca de 3 mil vagas exclusivas para tratamento de dependência química na rede pública do Estado São Paulo, seis vezes mais do que havia em janeiro de 2011, em serviços próprios ou contratados, e que são financiados exclusivamente pelo tesouro estadual.
Além disso, o Estado mantém o "Recomeço Família", que tem o objetivo de acolher, orientar e apoiar os familiares de dependentes químicos, oferecendo acesso a informações sobre tratamento, palestras, atendimentos individuais e terapia em grupo. Com essa iniciativa, busca-se oferecer recursos para que os familiares do dependente possam obter qualidade de vida e minimizar as chances do desenvolvimento de doenças e transtornos emocionais, decorrentes do impacto da convivência com o familiar dependente químico.
É fundamental que o poder público ofereça oportunidades para que o dependente químico deixe esta condição, por meio de desintoxicação para os casos mais agudos, recuperação e reinserção na sociedade e no mercado de trabalho. Uma etapa de cada vez, sem atropelos, como deve ser.
Ronaldo Laranjeira
é psiquiatra, professor titular do departamento de Psiquiatria da Unifesp e coordenador do programa Recomeço, do governo do Estado de São Paulo


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

MAGNO MALTA DENUNCIA A RESOLUÇÃO DO CONAD

Publicado em 20/08/2014
Magno Malta denuncia resolução da CONAD do governo do PT, que proíbe as CT - Comunidades Terapêuticas incluir religião no tratamento de recuperação de dependentes químicos.




Neste mês (agosto/2014), estarrecidos, observamos a divulgação de minuta de Resolução sobre um novo conjunto de regras do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (CONAD), este, pois, alicerçado em evidente impeditivo à utilização da religião no trato do dependente químico. As referidas normativas, então legitimadas pelo Governo Federal e pelo presidente do CONAD, Vitore Maximiano, que busca impedir doutrinas religiosas na Recuperação de Dependentes de Substâncias Psicoativas.

O primeiro Senador a se levantar a respeito da tendência impositiva do Governo foi o Senador Magno Malta (ES) asseverando o quão prejudicial se mostra a limitação imposta, pela própria realidade constatada nas instituições cadastradas. Afinal, quase a totalidade das clínicas de tratamento está vinculada à religião. Os cadastros apontam que as organizações não governamentais (ONGs) envolvidas e comprometidas com a recuperação, costumeiramente, são estabelecimentos que funcionam como campanha solidária das religiões evangélicas, católicas, espírita dentre tantas outras vertentes que, costumeiramente, estão voltadas ao apoio social e à doação de si ao outro, como elementar à vida.
Alguém questionou qual seria o impacto desse ato do governo às comunidades? Ainda, passariam as Organizações Não Governamentais a receberem ordens limitativas dos agentes de Estado às suas crenças, liberdades de manifestação, orientações fundantes e motivadoras, estas, pois, quase sempre em ações solidárias?Deixariam de ser Não Governamentais? estamos diante de um Estado intervencionista? Como podemos classificar essa orientação do Estado laico? Podemos ressaltar que o fundamento é democrático? O que de fato simboliza a democracia?

Devemos primeiramente questionar o que significa um Estado laico. Estado laico significa um país com uma posição neutra no campo religioso. Também conhecido como Estado secular, o Estado laico tem como princípio a imparcialidade em assuntos religiosos, não apoiando uma orientação específica, ou discriminando/proibindo manifestações religiosas aos seus cidadãos. Isso porque o Estado laico defende a liberdade religiosa. Um país laico é aquele que segue o caminho do laicismo, uma doutrina que defende que a religião não é fundamento para as ações do Estado.

Afinal, o Estado é laico, mas as pessoas não são. O Governo estaria impondo a laicidade a todos os humanos ou, de forma mais perceptível, estariam seus membros impondo uma postura Anti-Deus?

Marcos Machado é desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso-TJ/MT. E-mail:marcos.machado@tjmt.jus.br

Fonte: A Gazeta - MT

quinta-feira, 15 de maio de 2014

COMPULSÃO SEXUAL TRATAMENTO

O compulsivo sexual não consegue ter controle sobre sua sexualidade, fazendo com que outras atividades e relacionamentos interpessoais fiquem prejudicados.
 
Quem sofre de compulsão por sexo tem seus pensamentos tomados por desejos eróticos a todo momento e a busca desfreada por satisfazer os impulsos sexuais expõe o indivíduo a diversos riscos. No ambiente de trabalho o descontrole pode levar à demissão. Com a constante troca de parceiros sexuais, o paciente fica suscetível a contrair doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS.
 

Uma pessoa que não consegue ter uma vida normal devido seus impulsos sexuais necessita fazer um tratamento adequado para que possa ter uma vida sexual saudável. A Clínica Viva possui o tratamento Personal Care onde o paciente poderá contar um método de abordagem multidisciplinar para tratar de maneira eficaz a compulsão sexual.

Plano de Tratamento para Compulsão Sexual

Saiba como funciona todo o tratamento

O tratamento Personal Care da Clínica Viva utiliza a metodologia de terapia cognitivo-comportamental, levando o paciente a entender os padrões de comportamento e auxiliando-o no controle dos impulsos sexuais.
Ao longo do tratamento terapêutico, quem sofre de comportamento sexual compulsivo terá acompanhamento de psicólogos especializados na Terapia Cognitiva-Comportamental, além de ter assistência de uma equipe terapêutica, para buscar uma qualidade de vida social e sexual.
As consultadas são individuais e o paciente é atendido com hora marcada, deixando o tratamento discreto e sigiloso.
compulsivo sexual não consegue ter controle sobre sua sexualidade, fazendo com que outras atividades e relacionamentos interpessoais fiquem prejudicados.
 
Quem sofre de compulsão por sexo tem seus pensamentos tomados por desejos eróticos a todo momento e a busca desfreada por satisfazer os impulsos sexuais expõe o indivíduo a diversos riscos. No ambiente de trabalho o descontrole pode levar à demissão. Com a constante troca de parceiros sexuais, o paciente fica suscetível a contrair doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS.
 
Uma pessoa que não consegue ter uma vida normal devido seus impulsos sexuais necessita fazer um tratamento adequado para que possa ter uma vida sexual saudável. A Clínica Viva possui o tratamento Personal Care onde o paciente poderá contar um método de abordagem multidisciplinar para tratar de maneira eficaz a compulsão sexual

Etapas dos Tratamento

1.
Psicoterapia cognitivo comportamental
2.
Avaliação Orgâncio-funcional Psiquiátrica*
3.
Coaching Individual
4.
Fitoterapia com medicamentos naturais
5.
Monitoramento do humor
6.
Plano de avaliação e controle de abstinência
(*) Inclui no plano de tratamento uma consulta de avaliação psiquiátrica e retorno no prazo de 15 dias.

Medicamentos Fitoterápicos

Além das sessões, o tratamento também inclui um kit de medicamentos fitoterápicos, que auxiliam no processo de recuperação dos pacientes que sofrem de comportamento sexual compulsivo, especialmente no controle dos impulsos.

Os medicamentos fitoterápicos têm a eficácia comprovada graças aos seus componentes obtidos a partir de plantas medicinais, sendo de grande auxílio no tratamento da compulsão sexual. Os medicamentos foram desenvolvidos e produzidos pelo Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Clínica Viva, em Franca, São Paulo

ENTRE EM CONTATO COM GAPEA CAMPINAS
019 996475907 ou 981354976 (Khaleb Bueno)
.

ALCOOLISMO: TRATAMENTO ESPECIALIZADO

TRATAMENTO PARA DEPENDÊNCIA LEVE

Planos de Tratamento Diferenciados por Perfi

Quando o nível de intensidade da dependência de drogas é identificado como leve a moderada, as possibilidades do sucesso na reabilitação sem necessidade de internar o paciente são grandes.
Tratar a dependência neste estágio é fundamental para evitar que o caso se agrave e os prejuízos do paciente e sua família sejam maiores.
Os vínculos sociais e familiares, atividades como trabalho e estudos são fatores positivos que contribuem na abordagem do tratamento.
A flexibilidade de dias e horários permite ao paciente continuar sua rotina normalmente e, o melhor, sem afastá-lo da família.
Outro benefício desta modalidade é o baixo custo em relação às consultas avulsas e ao tratamento em regime de internação.

Converse com a gente e conheça todas as vantagens deste plano de tratamento.

Projeto Terapêutico

Saiba como funciona todo o tratamento

O Projeto Terapêutico é fundamentado na terapia cognitivo-comportamental aliado a outras técnicas e dinâmicas terapêuticas comprovadamente eficazes para o tratamento. A metodologia abrange a assistência multidisciplinar, dando o suporte necessário ao paciente e seus familiares.
As consultas são individuais, com psicoterapeutas especializados e psiquiatras, e conta com o apoio de uma equipe terapêutica altamente capacitada.
Os horários são agendados de acordo com a disponibilidade do paciente, tornando o projeto terapêutico discreto e sigiloso. O plano também conta com o kit de medicamentos fitoterápicos, ajudando a conter os sintomas da abstinência.

ENTRE EM CONTATO COM O GAPEA CAMPINAS
019 996475907 ou 981354976 (Khaleb Bueno)

TRATAMENTO PARA DEPENDÊNCIA MODERADA

No nível moderado, a dependência química interfere com mais intensidade e frequência no dia a dia, porém, a pessoa ainda tem consciência de seus atos e de que ela precisa mudar.
Neste estágio, normalmente há pré-disposição ao tratamento, pois o dependente tem a consciência de que abuso de drogas está afetando seus relacionamentos sociais, afetivos e profissionais. Tratar a dependência química neste estágio é de grande importância para evitar que a doença torne-se ainda mais grave.
Este plano de tratamento é desenvolvido em duas etapas:
- Regime de internação continuada por período a partir de 30 dias;
- Acompanhamento psicoterapêutico ambulatorial por 60 dias.
No Intensive Care, o dependente é internado por um curto período para que seja afastado de situações ou pessoas que possam incentivar o uso de drogas. Na unidade de internação, o paciente tem 24 horas de assistência profissional qualificada, onde o foco será a reabilitação e reinserção social através de métodos eficientes.
Após este período, o paciente dá sequência em sua recuperação com o atendimento ambulatorial..
Por que a Internação é importante?
A internação é necessária para que a pessoa se distancie, momentaneamente, do ambiente e de grupos que favorecem o uso de drogas. Por outro lado, não basta retirar o dependente químico de seu ambiente natural, sem, contudo, ter uma proposta de tratamento eficiente. Práticas que forçam trabalho manual ou filosofias sem base científica e, mais grave, conduzidas por ex-dependentes químicos, não resolvem o problema.Na Clínica Viva, durante a internação o paciente conta com assistência profissional qualificada 24 horas por dia, todos os dias. Isso faz a diferença.
Projeto Terapêutico

Intensive Care - Moderado

O Projeto Terapêutico é fundamentado na terapia cognitivo-comportamental aliado a outras técnicas e dinâmicas terapêuticas comprovadamente eficazes para o tratamento. A metodologia abrange a assistência multidisciplinar, dando o suporte necessário ao paciente e seus familiares.
O paciente inicia o tratamento e logo passa por desintoxicação com medicamentos que reduzem as crises de abstinência. Também são realizadas sessões de psicoterapia individuais e dinâmicas em grupoconsultas médicas, avaliação psiquiátrica e outras atividades do cronograma estruturado.
Ao final desta etapa há a ressocialização, no qual o paciente é preparado para voltar para o convívio junto com a  sua família em sua própria casa.

Após a internação, o paciente é encaminhado para o acompanhamento em uma das unidades ambulatoriais da rede da Clínica Viva. Esta etapa é fundamental para sustentar todo o trabalho desenvolvido durante a internação, isso porque o paciente necessita de suporte terapêutico para reestabelecer sua rotina e aplicar seu novo plano de vida.
ENTRE EM CONTATO COM GAPEA CAMPINAS
019 996475907 ou 981354876  (Khaleb Bueno)

TRATAMENTO PARA DEPENDÊNCIA GRAVE

Quando um dependente químico coloca em risco outras pessoas ou a própria vida, é classificado como nível grave. A pessoa perdeu o discernimento sobre seus atos, assim como tem alto comprometimento da saúde física e psíquica devido à dependência química.
O dependente químico em nível grave não consegue manter relações familiares e profissionais estáveis e recusa qualquer tentativa de ajuda. Por isso, é comum neste estágio a necessidade da família pedir a internação involuntária, já que a pessoa não possui a consciência de que precisa de tratamento.
O nível grave é classificado pelos riscos que o usuário de drogas expõe a si e a outras pessoas de seu convívio. O melhor a fazer é recorrer ao tratamento, mesmo contra a vontade da pessoa. A possibilidade de recuperação deve prevalecer sobre a certeza de que drogas podem levar do desiquilíbrio psíquico/emocional até a morte.Afinal quem ama, nunca desiste!
Para esses casos, o mais recomendado é o Intensive Care+. O dependente químico é internado para desintoxicação e afastamento de situações de risco, sendo que a Clínica Viva possui  o serviço de resgate emergencial com equipe capacitada para esta intervenção.
Na unidade de internação, o paciente tem 24 horas de assistência profissional qualificada, onde o foco será a reabilitação e reinserção social através de métodos eficientes. Após este período, o dependente passa ao atendimento ambulatorial.
Este plano de tratamento é realizado em três etapas:
1 - Resgate de emergência (quando necessário);
2 - Regime de internação continuada por período a partir de 30 dias;
3 - Acompanhamento ambulatorial pós-internação por 60 dias.

Projeto Terapêutico

Intensive Care - Grave

O Projeto Terapêutico é fundamentado na terapia cognitivo-comportamental aliado a outras técnicas e dinâmicas terapêuticas comprovadamente eficazes para o tratamento. A metodologia abrange a assistência multidisciplinar, dando o suporte necessário ao paciente e seus familiares.
Por a saúde já estar mais fragilizada, o dependente químico em nível grave tem 24 horas de assistência profissional qualificada durante o período de internação. Há atividades em grupo e consultas individuais, com psicoterapeutas especializados e psiquiatras, e conta com o apoio de uma equipe terapêutica altamente capacitada.
Após o período de internação, o paciente é atendido na unidade ambulatorial mais próxima, onde os horários são agendados de acordo com a disponibilidade do paciente, tornando o projeto terapêutico discreto e sigiloso. O plano também conta com o kit de medicamentos fitoterápicos, ajudando a conter os sintomas da abstinência.

Como Funciona a Internação Involuntária?

A internação involuntária é a alternativa legal (lei nº 10.216, 16 de junho 2001), e mais tranquila do que se pode imaginar. Além disso, a maioria absoluta dos pacientes adere ao tratamento após a abordagem terapêutica e a estabilização do quadro clínico.
A Clínica Viva é uma das poucas instituições, no Brasil, plenamente aptas para este trabalho, com profissionais treinados para garantir o bem-estar do paciente do momento que deixa sua casa até o retorno ao lar.
ENTRE EM CONTATO COM GAPEA CAMPINAS
019 996475907 ou 981354976

assinta ao vídeo exlicativo sobre DEPENDÊNCIA



INTERVENÇÕES PARA DEPENDENTES DE SPA

Personal Care Indicado para uso

Leve

Dependentes de álcool ou drogas que apresentam boa saúde física e psíquica, no entanto o uso de substância já afeta sua rotina e relacionamento. É comum encontrar motivação e aceitação ao tratamento, mesmo que por incentivo da família. Nestes casos não precisa internar o paciente.


Intensive Care Indicado para uso:

Moderada

Casos em que a dependência química afeta sua rotina com mais intensidade, percebe-se tentativas frustradas em parar por conta própria. A pessoa ainda tem consciência de que precisa mudar e pode ser motivada a se tratar. Um período de internação breve é altamente recomendado.


Intensive Care - Grave

Indicado para uso:

Grave

Dependentes químicos com alto comprometimento da saúde física e psíquica. Recusa qualquer ajuda profissional, mesmo tendo as relações familiares e profissionais prejudicadas e negligenciadas. Quadro clínico qualifica para possível internação involuntária.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

DEPENDÊNCIA QUÍMICA

O diagnóstico da dependência química considera diferentes níveis de gravidade. E para cada situação é recomendada uma modalidade diferente.

CONTRATE OS SERVIÇOS DA D LUCA EXPANSIONE